terça-feira, 15 de maio de 2012

Meu irmão vai casar...


Estou escrevendo porque não consigo falar, me expressar, fazer sair,  fato. Escrevo porque talvez eu consiga me expressar melhor. Infelizmente eu sou assim, sinto demais, sinto muito...  Podia sentir menos e menos e menos. Mas não adianta, tudo me atinge, abala, afeta, arrebenta, maltrata, violenta de uma forma absurda e intensa. Eu não preciso de laxante para as emoções. Nunca sei direito se a vida me fez assim, as situações fizeram com que eu me tornasse assim, não sei, não sei mesmo. A vida maltrata quem sente demais. Quem sente demais acaba sofrendo mais que a maioria das pessoas. Tudo importa, tudo é exagerado, tudo sentido de corpo e alma. Alma, principalmente. Eu posso não demonstrar em beijos e abraços o quanto você é importante pra mim e o quanto eu te amo. Mas eu te amo muito e você vai fazer uma falta do cacete meu irmão.  

Meu irmão vai casar… Parecia que faltava tanto tempo quando eles marcaram a data. Meu irmão vai casar... Eu tinha certeza que sentiria o apertinho no peito que estou sentindo. Mas meu irmão está feliz, isso é o que importa. Que ele não apenas esteja, mas que seja... Desde que me entendo por gente ele está na minha vida. Lembro-me vagamente das brincadeiras e também das brigas que tínhamos quando pequenos. Lembro-me de defendê-lo quando ele estava no sufoco, mesmo sendo mais nova, eu que o protegia sempre. Lembro-me de assistir Power Rangers, Tartaruga Ninja, Castelo Rá-Tim-Bum e Cocoricó só porque ele gostava.  Meu irmão vai casar... A casa ficará mais vazia e silenciosa. Agora eu não vou mais saber quando ele chegar da faculdade. Agora não terá mais ele pra pegar minhas coisas e não devolver, consequentemente, me irritar. Não haverá mais trocas e “confusões” com as escovas de dente, num é Bruno? Só ele mesmo pra escovar os dentes com a minha escova e dizer: Foi sem querer. Meu desodorante agora vai render mais. Não terei mais aquele bocão fazendo barulho, falando e cantando pela casa, como se todos quisessem ouvir.  Até os sapatos dele espalhados na cozinha vai fazer falta, será a prova de que ele não está mais em casa mesmo. Assistir aos jogos do Santa Cruz, torcer, comentar, tirar onda, também não será mais do mesmo jeito, mesmo que eu vá pra sua casa será no mínimo diferente. Dyana é rubro-negra, (que mau gosto... Espero que você tenha competência pra mudar isso, kkkkkk). E já aviso, meus sobrinhos serão tricolores, viu Dyana?)

Meu irmão vai casar... Na nossa casinha vai faltar graça e sobrar espaço. Se vai Bruno, Alexandre, Crô e Valéria Bandida. Os desfiles e danças de cueca vão pra outro endereço agora. Na feira de supermercado, não terá mais tanto sentido colocar Goiabinha, Todinho e Geleia de mocotó, mesmo assim, vou colocar alguns, pra quando você vier nos visitar. Não vou ter mais com que brigar e discutir. Acho que nem vou mais poder dizer: - Fui eu não. Só vai ter eu mesmo... kkk. Aos domingos, antes de ir pra igreja, vou lembrar de você vindo aqui no meu quarto perguntar: - “Tá boa essa roupa? Cheira aqui pra vê se está fedendo! Está amassada? Tá bem ensacada? Oush, você nem viu direito e tá dizendo que está”.

Meu irmão vai casar... No começo vai ser “difícil” pra eu me adaptar e tudo me lembrará você. Agora eu vou ter que aprender a viver sem “conviver” com você diariamente como foi durante esses meus 24, quase 25 anos. Mas, enquanto for um berço meu. Enquanto um terço meu... Serás vida, bem vinda. Serás vivo, bem vivo em mim.

Meu irmão vai casar...  Está chegando cada vez mais perto... O que é que eu faço? Não sei se me calo, se grito ou também caso. Nesses casos que a vida nos coloca, sobram casais e nasce uma vida nova. Fazendo a busca da felicidade “a dois” mais uma árdua prova. E não é só de sonhos, pois o amor é uma certeza concreta.  Uma longa caminhada em que se perde tudo para encontrar o mistério. As dúvidas não desaparecem como em filmes românticos. No mundo real elas ajudam a perceber que o amor é também uma difícil escolha. Dessa escolha é que se vai meu irmão, deixando para trás nossa infância, adolescência e a famosa canção. E nas rodas vivas que cantamos, muitas coisas ficarão pra sempre na minha memória. Pois se conclui uma, mas em festa começa para ele uma nova história. Por isso me sinto casando com ele, “temeroso”, mas pleno de felicidade pelo novo. Estarei sempre perto.  Desejo aos nubentes muitas felicidades e um casamento do tipo dos velhos tempos, onde o amor e o respeito imperam. Esse dia chegou! Te amo pra sempre! E pra minha poesia é o ponto final. É o ponto em que recomeço.

PS: Dyana Rodrigues da Silva Albuquerque, você está levando a 2º coisa mais importante e valiosa que eu tenho nessa vida. Cuida dele direitinho tá?  Isso é um pedido e uma ordem! =)

...E se eu chorar e o sal molhar o meu sorriso, não se espante, cante, que o teu canto é a minha força pra cantar. Quando eu soltar a minha voz, por favor, entenda... É apenas o meu jeito de dizer o que é amar...

7 comentários:

Laurinha20 disse...

que liiindo Camila! me emocionei... =] beiiijos

Geysinha Cabral disse...

Nossa!! eu fiquei com uma vontade de chorar..
Lindo esse amor!

Vilma Lima disse...

Caramba! Chorei!

Unknown disse...

ola, ao ler esse poema, chorei..lembrei que meu casamento está marcado à daqui 5 meses e me vi pensando, como vou sentir falta do meu cantinho, do aconchego da minha familia, das brigas e das risadas c minha irma, do meu cachorrinho Toy.. e ao mesmo tempo me alegro pq como disse vc o amor é uma escolha e escolhi recomeçar minha vida ao lado da pessoa q Deus me deu para amar e cuidar...obrigada pela sua inspiração...

Camila Paiva =) disse...

Que bom que gostou do texto, desejos felicidades e um casamento cheio de paz, harmonia, compreensão e muito amor...

Kah disse...

Que lindo! Meu irmão tb vai casar e me sinto exatamente assim... triste, mas feliz!

Anônimo disse...

nossa emocionante... não aguentei e chorei, meu maninho tambem vai casar e já estou com um aperto no coração.